CONVOCAÇÃO DO DUENDE

No dia 01 de Julho de 2018, a diretoria da ANATORG desembarca em Curitiba para a II visita técnica em nossa torcida. É de suma importância a presença de TODOS os integrantes da Império Alviverde para esta evento.

As palestras serão realizadas em espaço interno do Couto Pereira e contam com a presença de diversos órgãos como Ministério Público, policiamento local, dirigentes do clube, diretoria da ANATORG, Império Alviverde, entre outros.

O QUE É E PARA QUE SERVE A ANATORG?

Há pouco mais de quatro anos, nascia a Associação Nacional das Torcidas Organizadas (ANATORG), em uma reunião com 103 torcidas, com objetivos comuns, visando reverter o cenário desfavorável às organizadas. Era mais uma tentativa de luta.

Muito por causa dos diretores de suas próprias torcidas, o conceito e objetivo da ANATORG foi deturbado por outras lideranças e por muitos membros. É preciso ressaltar que o termo mais usado da curta carreira da ANATORG é HIPOCRISIA. E nós vamos explicar a razão.

A ANATORG vem a público explicar melhor alguns desses conceitos e objetivos, pois em sua criação nunca foi dito que ela acabaria com as brigas ou que faria acordos – ou mesmo que iria interferir em rivalidades antigas. Ela foi criada para fomentar o diálogo onde ele nunca existiu, pois somos rivais e temos nossas diferenças sim, mas também temos mais coisas em comum do que a cor de nossa camisa.

Qual torcedor organizado já não passou por abuso de autoridade? Discriminação? Preconceito? Enfrentou filas para comprar ingressos caros? Sofreu com alimentação de péssima qualidade? E os horários de partidas que deixam as pessoas sem transporte público para voltar para casa? Existe uma infinidade de coisas que todos nós passamos e não temos ninguém – ninguém mesmo! – Para relatar ou observar tais fatos. As torcidas organizadas são sempre apontadas como culpadas de todos os problemas, desde a violência até o esvaziamento dos estádios.

A decisão de brigar ou não é de cada torcida e não da ANATORG. As brigas vão continuar devido a inúmeros fatores, como rivalidades históricas, egos inflados, auto-afirmação, (falta de) educação e questões sociais que afetam não só a nós, mas toda a sociedade brasileira.

Não transfiram a culpa por suas falhas. A “culpa” é de quem escolhe seu próprio caminho, de quem rouba, de quem depreda, de quem erra feio desse jeito. Estamos aqui para ajudar as INSTITUIÇÕES, que são maiores do que tudo isso. Quem acha que cruzar o braço sem nem ao menos TENTAR é ser “hipócrita”, é por que não se importa com sua própria torcida e sim com seu maior rival – e aí nós percebemos uma tremenda inversão de valores.

Toda a diretoria da ANATORG é de arquibancada, toda a diretoria já brigou algum dia – e não foi pouco! Mas escolhemos o nosso caminho e ele é diferente. Se isso é ser “hipócrita”, sejam bem-vindos, somos sim “hipócritas”, mas somos os “hipócritas” que lutam por um objetivo.

Não cobramos mensalidade das torcidas, não recebemos verba pública, não temos parcerias financeiras e nosso engajamento sai de pessoas que acreditam na causa. Simples assim.

Apenas atentem-se para o fato de que fomentamos o diálogo para salvar as arquibancadas, mas todas as decisões internas de suas torcidas são tomadas por VOCÊS. Observem também que mesmo que não apareça aos olhos de vocês, lutamos constantemente contra os “inimigos de gravata” em uma guerra fria cansativa. Já tivemos várias conquistas pelo Brasil afora e temos vários amigos “de gravata” também juntos conosco nessa guerra fria.

A pergunta que fica é: será que o problema da falência das organizadas no Brasil é da ANATORG? Trata-se de uma associação que pede às suas torcidas mais hombridade até mesmo quando se tem problemas, que diz NÃO à arma de fogo, que diz NÃO à covardia, que diz NÃO aos “esquemas. ”

O que falta é isso: coragem para mudar, coragem para ser correto, coragem para pensar no movimento torcida organizada como um todo. Ou você acredita que a sua torcida é a única que irá sobreviver ao futebol moderno?

O que o ‘futebol moderno’ quer é o fim das torcidas, querem trocar o torcedor organizado pelo consumidor domesticado, aquele que vai gastar muito dinheiro dentro dos estádios ou novas arenas.

Nossa luta é muito maior que qualquer vaidade de qualquer torcida, lutamos por um espaço aonde possamos manifestar nossa festa na arquibancada respeitando cada cultura regional. Nossa luta é por um setor popular onde o preço dos ingressos seja acessível as classes sociais mais baixas. Nossa luta é pela mudança no estatuto do torcedor onde pune as torcidas por delito provocado por um único indivíduo.
Nossa luta é contra a aprovação do Projeto de Lei Antiterrorismo que se for aprovado irá limitar qualquer manifestação da torcida por um simples protesto contra seu time, levando a prisão pelo simples fato de reivindicar algo melhor para seu clube.

Lutamos pela conscientização do torcedor e a defesa de seus direitos.

A ANATORG vai continuar trabalhando com ou sem a aceitação de uma pequena parcela, pois sabíamos do desafio e sabíamos que a probabilidade de dar errado era de 95%. Ou mais. Porém, como bons torcedores organizados, temos os nossos 5% para ao menos nos olharmos no espelho e ter orgulho de dizer: NÓS TENTAMOS MUDAR!

Conheça mais em: http://anatorg.com.br/x/